Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

venceremos



Domingo, 12.01.14

Questão filosofica N°1

link -- http://filosofia-xauteriana.blogs.sapo.pt

 

mails -- pablonodrade@sapo.pt  ; filosofia.xauteriana@live.fr  ; filosofia.xauteriana@gmail.com

 

                         -------------- // --------------

 

      Com Lenine e com Marx demonstrou-se que o verdadeiro materialismo marxista não elimina os problemas filosoficos, se os considerarmos como vulgares adivinhas para o uso dos intelectuais separados da vida real. O Materialismo aborda  o real com uma problematica.

 

      So o dogmatismo, expressão dum pensamento vulgarisado e esquematisado,  suprime os problemas por acredita-los resolvidos eternamente. Este materialismo dissecado perdeu a poesia do antigo materialismo dos filosofos gregos, que ainda confundiam a materia, a vida, a consciencia, mas que falavam da << natureza >> duma maneira inocente, fresca, profunda.

 

      " Os extremos tocam-se ", dizia Marx na sua critica da filosofia hegeliana: o materialismo abstracto junta-se com o espiritualismo abstracto. Mas tambem acrescenta ( na Santa Familia, a proposito do seculo XVIII ) que se torna asceptica e misantropica; que as qualidades sensiveis se desfloram; que a filosofia do real, para responder ao << espirito >> desencarnado, apresenta-se como um << ser de razão >>.

 

      Estas duras observações poder-se-ão renovar, a proposito do materialismo recente que se pretende marxista.

 

      Estas dificuldades do pensamento materialista não se separam duma crise geral do pensamento filosofico.

 

      A filosofia procura a sua via entre as especialisações e as divisões do trabalho, levadas até às ultimas consequencias. Os especialistas que se partilham os dominios e os sectores do conhecimento, atingem uma tecnicidade simultaneamente superior e delimitada. Que fica para o filosofo? E que pode este, num mundo onde se afrontam forças para as quais so as relações contam? Qual é o papel do filosofo? Qual é o seu lugar?

 

      Filosofia alguma, por mais afastada que ela esteja ( ou pareça estar ) do real, não pode evitar o confronto com os acontecimentos e com as condições objectivas.  Se os acontecimentos não intervêm, a escolha individual duma filosofia ficara entregue ao acaso e relevara ( examine-se sobre inumeros casos ) dum estudo estactico. Ora, entretanto na vida real, os acontecimentos determinam o conjunto das escolhas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por filosofia-xauteriana às 16:27



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031